Orgulho em defender os direitos LGBT promovendo respeito e união.

Prefeitura do Rio divulga pesquisa sobre impacto econômico do turista LGBT no carnaval

Notícias

» Prefeitura do Rio divulga pesquisa sobre impacto econômico do turista LGBT no carnaval

Por: João Felípe Toledo e Ricardo Albuquerque

Fotos: Raphael Lima

A Prefeitura do Rio divulgou, nesta quarta-feira (02/04), o resultado da pesquisa "O perfil e o impacto econômico do turista LGBT no carnaval do Rio de Janeiro", realizada pela Riotur e a Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS-Rio), em parceria com o Observatório do Turismo da Faculdade de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal Fluminense (UFF). O estudo inédito constatou que o turismo LGBT representou 30,75% da receita de R$ 1,5 bilhão gerada durante o carnaval na cidade, o que garantiu um impacto direto sobre a economia local de R$ 47 milhões por dia, já que os gastos deste público ultrapassaram a barreira dos R$ 461 milhões nos dias de folia. O evento reuniu estudiosos, empresários e militantes LGBTs no Palácio da Cidade, em Botafogo.

O subsecretário especial de Turismo, Phillipe Campelo, o coordenador especial da Diversidade Sexual, Carlos Tufvesson e o professor que comandou a pesquisa em campo, Dr. Osíris Marques (UFF)

— O retrato fiel deste turista LGBT permitirá, a partir de agora, que a Prefeitura do Rio construa políticas específicas através desses dados. A pesquisa também vai ajudar os empresários do setor a criar estratégias para cultivar esse público — disse Carlos Tufvesson, coordenador da Ceds.

"O interessante é notar como esse turista escolheu o Rio. O que nós fazemos é assegurar os direitos civis de LGBTs e sabemos que esse item pesa na escolha do destino dessas pessoas", disse Tufvesson

A pesquisa revela o seguinte perfil:  homossexuais masculinos jovens, com média de 26 anos de idade, solteiros, com nível superior de escolaridade em sua grande maioria, renda média de 8,7 salários mínimos. 60% dos entrevistados utilizaram o avião como meio de transporte para chegar à cidade e, em média, já visitaram o Rio de Janeiro aproximadamente sete vezes, sendo que 30% já estiveram por aqui 11 ou mais vezes.

— Essa pesquisa é relevante e fundamental, pois contribui para o entendimento do nicho de mercado.  Nós já tínhamos a ideia de que o público LGBT gastava mais, tanto que em 2011 lançamos uma campanha voltada para o mercado de turismo LGBT, que foi bem aceito. A avaliação positiva do sistema de informação turística mostra que a gente está no caminho certo — comentou o subsecretário Especial de Turismo, Philipe Campello.

"Nós já tínhamos ideia que o público LGBT gastava mais", afirmou Campelo

Ao serem questionados do porque da escolha do Rio como destino, 42% disseram que por ser um “destino gay friendly”, a cidade os atraiu; se recomendariam o carnaval carioca, 93,6% disseram que sim. Já 94,6% garantem que pretendem retornar à cidade, o que revela a satisfação do turismo com a capital fluminense.

A pesquisa aponta ainda, um gasto médio diário do turista nacional de R$ 302,10 e do internacional de R$ 538,82. Considerando que o gasto médio do turista heterossexual é de R$198,00, nota-se um consumo superior de 50% no caso do turista nacional e 270% no caso do turista internacional.

Em relação ao cálculo de permanência na cidade, a pesquisa levantou um índice de estada média de 8,8 no caso do turista nacional e de 12,40 do turista internacional (em comparação ao índice de seis dias do turismo heterossexual).

Segundo o professor Osíris Marques, coordenador da equipe de pesquisadores da UFF, o estudo agrega informações para um setor extremamente carente de dados confiáveis e relevantes:

— Nota-se que a maior motivação dos entrevistados foi a recomendação de amigos e familiares, seguida pelo reconhecimento de se tratar de um destino amigável.  Tanto que o Rio recebeu a nota 3,9 de média dos entrevistados, lembrando que a avaliação variava de 1 a 5, englobando todos os tipos de serviços. Portanto é uma nota muito boa — disse o professor.

"A pesquisa agrega um pouco mais de informação para um setor extremamente carente de informações confiáveis e relevantes", ressaltou Osíris

Os países que mais nos visitaram foram EUA, Inglaterra e Canadá. Já entre visitantes nacionais, os turistas de São Paulo, Minas Gerais e do Estado do Rio de Janeiro lideram o ranking de vinda à cidade.

Estiveram presentes na apresentação produtores de diversas festas voltadas para o público LGBT e também o diretor da FECOMÉRCIO-RJ, Natan Schiper, o vereador Marcelo Arar e Cristina Camargo, representante da DEAT - Delegacia Especial de Atendimento ao Turista. Schiper sugeriu que a pesquisa fosse apresentada em breve na FECOMÉRCIO-RJ para empresários de diversos setores.

A pesquisa ouviu 1.590 pessoas e 614 questionários completos. Ela foi realizada entre os dias 28 de fevereiro e 4 de março. As informações forma colhidas em diversos pontos de concentração de público LGBT, como as ruas Farme de Amoedo e adjacências, em Ipanema; os blocos TocoXona, Banda de Ipanema e Simpatia É Quase Amor; as festas JukeBox, Revolution, Party, ToyOz, BITCH + The Week, Rio Life Style Festival e o camarote CandyBox, no Sambódromo.

VEJA ABAIXO, ALGUNS GRÁFICOS DA PESQUISA.

PARA SOLICITAR A PESQUISA COMPLETA, ENVIE UM E-MAIL PARA COMUNICACAO.CEDS@GMAIL.COM

 

Palácio da Cidade - Rua São Clemente, 360 / Botafogo - RJ | Tel.: 21 2976.9137

Copyright © Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual do Rio de Janeiro 2011 - Todos os direitos reservados.